PAPO COM ELAS

25. 07 11:00 H

Maternagem, Maternidade e Mulheridades

​Ana Cecília Assis Bacharel em Relações Públicas pelo Uni-Bh e pós graduada em Marketing, Negócios e Finanças pela Puc -MG. Atua desde 2010 na área de Produção Cultural e está à frente de grupos políticos-sociais da cidade. Nessa jornada, a comunicóloga, produtora cultural, mãe e candomblecista, se auto define como uma incansável provocadora, e destaca a importância de entender o mercado e seus públicos como ferramenta para transformar eventos em grandes possibilidades de negócios, agentes transformadores e multiplicadores de oportunidades.

Elisa de Sena
É é uma cantora e compositora mineira que tem sua arte fortemente enraizada na percussão afro-brasileira, especialmente nos tambores de Minas Gerais, e que mescla suas raízes às possibilidades que o universo da música eletrônica oferece na contemporaneidade. Mulher negra, mãe e de origem periférica, não separa seu fazer artístico do seu lugar de fala. Com um discurso que passa pela negritude e pelo feminismo, sua poética fala de transmutação.

Fernanda Moreira
Fernanda Moreira, mulher preta com suas forças e fragilidades. Mãe solo que passo a passo se torna mais livre. Assistente social, idealizadora, artista e gestora da Kuenda, essa negra marca onde a arte, a beleza, o autoamor e o bem-viver urgem.

25. 07 16:00 H

Seu corpo: uma repetição programada. Diálogos para se habitar um corpo dissedente

Gigi Favacho Ribeirinha marajoara vivendo nas montanhas de Minas, sapatão gorda polissexual não-monogâmica, produtora cultural; idealizadora da Divina Maravilhosa, festival de representatividade LGBTQIAP+; gestora da Revista Lesbi, voltada para mulheres que se relacionam com mulheres; coordenadora artística da Virada Cultural de Belo Horizonte.

Fredda Amorim
Antes de qualquer coisa bixa-preta-travesti de Asè que TRANSita pelo mundo. Professora no curso de pós-graduação Lideranças Transformadoras do BBI of Chicago – Business Behavior Institute, Mestra em Artes Cênicas pela UFOP, Historiadora e professora de história. Co-fundadora da plataforma Queerlombos, integrante da Academia Transliterária e de produções cinematográficas como Corpo Presente e Quando a Terra Treme. Atua no coletivo Outro Preto, na busca incessante de produzir outras narrativas para corpas pretas na Cidade Patrimônio da Humanidade.

Morgs Rodriguez
Artista da dança, graduande em Dança - Licenciatura na UFMG. Atua na área desde 2009 sendo professore, dançarine, performer, coreógrafe, artivista e pesquisadore. Circula desde 2017 com performances em festivais e festas em Belo Horizonte, trabalhando a perspectiva do corpo e suas possibilidades, questionando padrões e trazendo luz a uma das várias existências fora da normalidade binária. É artivista do carnaval de BH, atuando como coreógrafe, regente e diretore cênica nas alas de dança da Fanfarra Sagrada Profana, Truck do Desejo e Como te Lhamas.

25. 07 19:00 H

Arte D’elas

Juhlia Santos Artivista, jornalista, produtora cultural, atriz, performan, pesquisadora de gênero, puta por convicção.

Giovanna Heliodoro Historiadora, Comunicadora, Afrotransfeminista, Speaker do TEDx e Pesquisadora. Integra a ONG EQUI articulando ações acerca da inclusão de diversidade no mercado de trabalho e atualmente é uma das Colunista do BuzzFeed Brasil. Conhecida como Trans Preta, ela atua há aproximadamente 5 anos como Produtora de Conteúdo nas redes sociais e em 2018 publicou o seu primeiro livro, Raízes - Resistência Histórica.

Lira Ribas Atriz, diretora e figurinista, atuante no teatro e cinema. Ganhou o prêmio Sinparc MG como melhor diretora com o espetáculo “... e peça que nos perdoe” em 2013. Atuou em filmes mineiros como “Estado Itinerante”, da diretora Ana Carolina Soares, no qual ganhou melhor atriz no Festival de Cinema de Brasília em 2016 e “Luna“, de Cris Azzi, selecionado para o Festival de Brasília 2018. Como figurinista, foi indicada ao prêmio Sinparc MG diversas vezes. Atuou com o grupo Espanca no espetáculo “Dente de Leão” , participou do filme “O Natal de Rita”, dirigido por Ricardo Alves Jr pela Globo Filmes. Dirigiu shows em Belo Horizonte, entre eles o do cantor Marcelo Veronez e da atriz Mariana Arruda. Atuou como Mestre de Cerimônia no Festival Fênix, Noite no Museu Memorial da Vale, Mostra Cine BH e Tributo a Marku Ribas. Fundadora e produtora de dois Blocos de Carnaval de Belo Horizonte, o Corte Devassa e o Magnólia, Lira Ribas é atuante no carnaval de rua da cidade e seus desdobramentos durante o ano.

Luna Ventura Modelo e atriz. Desenvolve seu trabalho artístico tendo a corporalidade trans enquanto objeto e sujeito de arte. Usa a linguagem da performance, da dança e do audiovisual para promover a naturalização dos corpos trans e a tentativa de criar um imaginário coletivo onde nossas existências sejam possíveis. Miss Minas Gerais y Vice-BR.